O que gostarias de pesquisar?

REMOÇÃO DE BARREIRAS FLUVIAIS

© Diogo Branco

Ao longo do último século, assistimos em Portugal a uma crescente instalação de barreiras fluviais (pequenos açudes, diques e represas) nos nossos rios, sobretudo para retenção e desvio da água para abastecimento das populações e rega das culturas agrícolas. A construção dessas barreiras disparou nos últimos 50 anos, com barragens de cada vez maior dimensão.

Estas infraestruturas têm um impacto negativo no funcionamento dos ecossistemas ribeirinhos e contribuíram decisivamente para o enorme declínio da sua biodiversidade (-83% desde 1970 a nível mundial).

Enquanto que outros países europeus já começam a demolir barreiras fluviais para libertar os rios e deixá-los seguir o seu curso natural, em Portugal há ainda um longo caminho a percorrer. Por isso, Lisboa acolheu o Seminário Dam Removal Europe, de 19 a 21 de maio de 2022, onde especialistas europeus apresentaram casos de sucesso de remoção de barragens por toda a Europa, mostrando os métodos utilizados, custos, benefícios, desafios e obstáculos. Este evento foi organizado pela ANP|WWF em parceria com a World Fish Migration Foundation.

© ANP|WWF
o nosso trabalho

A ANP|WWF é a primeira organização da sociedade civil a remover uma barreira fluvial obsoleta em Portugal! Com o apoio do Open Rivers Programme e em parceria com a Câmara Municipal de Alcoutim, o projeto de derrube desta barreira - o açude de Galaxes - estando previsto arrancar em outubro de 2022 e vai permitir não só restaurar a conectividade de 7,7 km da Ribeira de Odeleite (bacia do Rio Guadiana) como também contribuir para a conservação de diversas espécies de peixes, aves ribeirinhas e mamíferos que fazem parte da biodiversidade desta região.

A ANP|WWF, alinhada com a rede europeia da WWF e com a Iniciativa Living European Rivers, está a promover uma campanha de sensibilização - Rivers Unlocked - e a iniciar a identificação e estudo de barreiras fluviais obsoletas em Portugal que, não servindo já para o uso a que se destinavam, possam ser removidas e assim restabelecer a conectividade entre espécies de flora e fauna ribeirinhas, e melhorar os serviços prestados a todos por estes valiosos ecossistemas.

Clica no botão para explorares o relatório europeu (em inglês) publicado em abril 2021, que mostra como 50.000km de rios europeus podem ser libertados graças à remoção seletiva de barreiras fluviais obsoletas.