Países nórdicos formalizam posição histórica sobre poluição plástica nos oceanos | WWF

What would you like to search for?

Our News

Países nórdicos formalizam posição histórica sobre poluição plástica nos oceanos

Lisboa, 11 de abril de 2019 - Num grande avanço no combate contra a poluição causada por plásticos nos oceanos, os governos nórdicos formalizaram ontem o primeiro acordo global para enfrentar esta crise.

Num grande avanço no combate contra a poluição causada por plásticos nos oceanos, os governos nórdicos formalizaram ontem o primeiro acordo global para enfrentar esta crise. A declaração histórica foi feita durante uma reunião dos ministros do Meio Ambiente da Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia, durante o Conselho Nórdico de Reiquiavique.
 
O anúncio é feito um mês após os líderes mundiais terem falhado o acordo sobre ações políticas significativas a implementar para lidar com este tipo de poluição, durante a Assembleia do Meio Ambiente das Nações Unidas, em Nairobi.
 
“Este ato pioneiro dos governos nórdicos deve servir de inspiração para outros governos. A poluição por plástico nos oceanos requer uma ação concertada - um acordo global é a única forma de libertar os mares dos oito milhões de toneladas de plástico que são despejados nos oceanos a cada ano. Por isso, apelamos ao Governo Português que siga este exemplo dando o seu contributo para libertar a natureza dos plásticos”, disse Ângela Morgado, Diretora Executiva da ANP|WWF. 
 
"As pequenas ações, como proibir plásticos de uso único ou palhinhas, são importantes mas insuficientes. Este ano vamos ter dois atos eleitorais que vão definir o futuro da Europa e de Portugal. Seria verdadeiramente pioneiro que os partidos portugueses colocassem nas suas agendas políticas este temae agissem de forma efetiva contra este tipo de poluição, que não só destrói a vida marinha, como representa um perigo para a saúde de todos nós”, reitera.
 
A ANP|WWF tem vindo a pedir um acordo global legalmente vinculativo que estabeleça metas nacionais e mecanismos transparentes de denúncia que se estendam às empresas, para além de fornecer apoio financeiro e técnico para os países em desenvolvimento aumentarem a sua capacidade de gestão de resíduos. Para reforçar o pedido, a ONG global de conservação lançou a petição “Stop Plastic Pollution – Zero Plásticos na Natureza”, que em dois meses reuniu quase 400 mil assinaturas (à data 2500 em Portugal). 
 
Em Portugal, para tornar mais visível o tempo que o plástico dura na natureza, a ANP|WWF lançou o live streammais longo de sempre, uma transmissão em direto do processo de decomposição de uma garrafa plástica que vai durar os próximos 450 anos.
 
Em março de 2019, a WWF publicou o relatório “Resolver a Poluição por Plástico Através da Responsabilização”, escrito em parceria com a Dalberg. O relatório alerta que sem uma mudança drástica na abordagem, a crise da poluição por plástico irá piorar, com 104 milhões de toneladas de plástico em risco de chegar aos ecossistemas até 2030. O relatório defende que um acordo global juridicamente vinculativo irá manter governos e empresas mais responsáveis ​​pelo verdadeiro custo dos plásticos para a natureza e para as pessoas.
Plastic campaign