Sobreiro - um património único | WWF

Sobreiro - um património único



O sobreiro, é identificado pela WWF como espécie prioritária, pelo valor ambiental, económico e social, que representa para a eco região do Mediterrâneo Ocidental. Esta espécie tem uma área de distribuição muito limitada, cerca de 2.7 milhões de ha, onde apenas 4 países, Portugal, Espanha, Marrocos e Argélia, detêm cerca de 90% da área de distribuição da espécie. Portugal é o país do mundo com maior área desta espécie, cerca de 736 mil ha, o que coloca o sobreiro como uma das espécies emblemáticas do nosso País.

Valor ambiental

O sobreiro destaque-se como um dos maiores tesouros naturais de Portugal pela:

  • excelência dos serviços ambientais que presta (incluindo a conservação dos solo, a regulação do ciclo da água, a diminuição das emissões de carbono e a conservação da biodiversidade);
  • a exploração da cortiça é um processo ambientalmente sustentável, uma vez que nenhuma árvore é cortada e somente de 9 em 9 anos é realizado o descortiçamento.

Em Portugal as florestas em que o sobreiro é dominante são de dois tipos: o montado, um sistema aberto associado a zonas planas e a pastagens naturais, e o sobreiral, bosque mais denso e de serra.

 
	© WWF-Mediterrâneo / Rui CUNHA
Veado Real Europeu (Cervus elaphus)
© WWF-Mediterrâneo / Rui CUNHA
 
	© WWF / Claire Doole
Apesar da cortiça poder ser retirada da árvore de nove em nove anos, são necessários pelo menos 40 anos para um sobreiro se tornar economicamente produtivo.
© WWF / Claire Doole

Montado - sistema mais característico e dependente da intervenção humana. Pode ser exclusivamente de sobreiro, mas também combinar com pinheiro manso (litoral), ou azinheira (interior). A biodiversidade está, frequentemente, associada à variedade de pastagens, que é extremamente elevada: num mero metro quadrado de terreno é corrente divisarem-se dezenas de espécies de plantas, paralelamente favorece a fixação de uma grande variedade de aves, como a Abetarda, a Águia Imperial, a Águia de Bonelli e o Abutre Negro.

Sobreiral - sistema de bosque, onde cresce uma grande variedade de arbustos mediterrânicos: medronheiro, aroeiras, giestas, retamas, esteva, urze e várias ripícolas. Em termos de rapinas destacam-se o Açor, Gavião, Bufo Real e os Pica-paus. O sobreiral é ainda habitado por Gineto, Gato Bravo e Lince Ibérico, espécies ameaçadas, para além das usuais espécies cinegéticas – Coelho, Lebre e Perdiz, interessantes do ponto de vista da cadeia alimentar.

Valor económico

Anualmente, extraem-se 137 mil toneladas de cortiça ao ano, o que corresponde a cerca de 54% da produção mundial do sector. A maior parte da cortiça transformada em Portugal – 68% na produção de rolhas – é exportada (90%), representando 2,7% das exportações anuais do país. O sector da cortiça engloba 900 empresas transformadoras.

No entanto o valor económico do sobreiro não está exclusivamente associado à cortiça, existindo outros rendimentos gerados pelas florestas de sobreiro (pecuária, caça, mel e cogumelos).

Valor social

Da economia do sobreiro depende uma parte significativa da população Portuguesa: 12 a 14 mil postos de trabalhos fabris directos; 6500 postos de trabalho na extracção florestal e milhares de postos de trabalho indirectos (restauração, turismo, etc).

  
	© WWF-Mediterrâneo / Rui CUNHA
Flores do montado, Coruche, Portugal
© WWF-Mediterrâneo / Rui CUNHA
 rel=
Montado, Coruche, Portugal
© WWF-Mediterrâneo / Rui CUNHA